Lienz – Salzburg

 

Esta pequena cidade medieval ao leste dos Alpes, no Tirol austríaco, foi uma agradável surpresa. A cidade é muito antiga. Na confluência dos rios Isel e Drava, no leste dos Alpes, os primeiros assentamentos de Lienz datam da idade de bronze, cerca de 2000 AC. Os Célticos viveram aqui em 300 AC. A área foi incorporada ao império romano em 15 AC pelo imperador Claudius. Em 1945, forças britânicas ocuparam Lienz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vista geral de Lienz. (foto baixada do Google)

Chegamos no inicio da noite, ainda com sol, pois em junho anoitece depois das nove horas. Esta talvez tenha sido uma das melhores escolhas da viagem. O hotel Laserz (nada a ver com o raio, é o nome da família) foi uma surpresa. Bem familiar, no campo, a somente dois quilômetros da cidade. Recomendo a todos que vierem por estas paragens. Só um detalhe, tragam GPS porque é impossível achar esse hotel no mapa.

Depois do check-in e duas cervejas num barzinho tipicamente austríaco, resolvemos caminhar até o centro, atravessando uma área plantada. Lá, para nossa surpresa, encontramos vários restaurantes abertos com mesinhas nas calçadas, ou no meio da rua, e uma quantidade enorme de jovens indo à balada. Ficamos em Haupetplatz, a praça central da cidade. Todos são muito simpáticos. Pedir informações por aqui é fácil se você falar alemão ou for bom de mímica. O pessoal mais velho não fala inglês.

Depois de tantos anos na estrada, ainda não equacionei direito essa questão dos hotéis. Acho que realmente não tem solução, é meio uma questão de muita pesquisa misturada com muita sorte. O ideal seria não fazer reserva, como temos viajado há anos. Quando passamos por uma cidade e gostamos do lugar, ficamos por ali mesmo. Mas isso só dá pra fazer em baixa estação, quando se chega na cidade antes das seis da tarde. A gente viaja tranquilo, sem pressa, e fica onde gosta mais ou, no lugar que se está às 5 da tarde.

Temos feito isso na Suíça, na Alemanha e na França sem problemas, e encontrado hotéis-butique muito agradáveis, sendo recebidos pelos próprios donos. Na alta estação ou no inverno rigoroso é um pouco arriscado, e ficar na rua numa moto é meio complicado.

Desvantagens deste método: perde-se muito tempo procurando hotéis em cada destino; corre-se o risco de ter que seguir para outra cidade mais próxima caso não se encontre um hotel decente; pode-se ter que pagar mais caro por isso.

Com reservas pré-determinadas, como fizemos nesta viagem, a preocupação é outra. Temos que seguir um cronograma pré-estipulado, o que não gosto muito. Por mais que se pesquise na internet por meio de reviews e fotos, quase nunca o hotel corresponde à realidade. Às vezes supera as expectativas, às vezes decepciona. Neste caso do Laserz, agradável surpresa, é melhor do que descrito no site.

Desvantagens no método com reservas: difícil análise da área onde se encontra o hotel (às vezes a vizinhanças é barra pesada); obrigatoriedade de se chegar naquela cidade; perda do valor pago no caso de se mudar de ideia.

Hoje é um desses casos. Decidimos mudar o roteiro e, ao invés de seguir para Munique, vamos passar por Salzburg. Poderíamos ficar por lá, mas como só temos reserva em Munique, vamos ter que fazer um pequeno passeio e seguir viagem. As estradas são tão boas na Áustria que dará tempo. Uma pena: eu teria ficado mais em Lienz e em Salzburg.

A estrada Lienz-Salzburg é uma delícia. Como diz o Marcos (nosso companheiro de viagem) a paisagem é tão bonita que “dói os olhos”. Por aqui temos a melhor vista do Tirol.

Chegamos em Salzburg na hora do almoço, a comida mais cara de toda a viagem. Cinquenta euros por um almoço numa rede fast-food? C’mon! Mais 50 euros por apfelstrudel e café para quatro pessoas? É verdade que se trata do autêntico apfelstrudel vienense, num café inaugurado em 1784, mas mesmo assim é meio demais. Se considerarmos a inflação desde aquela data…. Mozart, que nasceu aqui em Salzburg, teria que cobrar mais por suas apresentações se vivesse aqui nos dias de hoje. Mozart está por toda parte. Cartazes, vendas de chocolates, teatros, enfim, é o “garoto propaganda “ da cidade. Mas há um novo “filho da cidade” também famoso agora. Um tal de touro vermelho. Isso mesmo, o Red Bull, a bebida energética, foi inventada aqui.

A arquitetura barroca da “Old Town" é reconhecida internacionalmente e é considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO desde 1997.

Salzburg foi palco de grande conflito religioso. Por volta de 1730 o arcebispo da Igreja Católica Romana, Leopold Anton von Firmian, assinou um tratado expulsando todos os protestantes da cidade, durante um rigoroso inverno, os quais tiveram dois dias para vender suas propriedades. Venderam por nada para as pessoas que os expulsaram. As crianças com menos de 12 anos de idade foram confiscadas para serem educadas por famílias católicas. Que tal isso como lição de religião?

Em 1960 o filme “The Sound of Music “foi rodado aqui, baseado numa história verídica da família von Trapp. O filme não é muito popular entre os austríacos, mas os locais de filmagem são mostrados nos tours da cidade. Também o filme “Knight & Day,” de 2010, com Tom Cruise e Cameron Diaz, tem grande parte do seu setting filmado aqui. A cidade é muito fotogênica.

Atravessando uma ponte de pedestres sobre o rio Salzach, que corta a cidade de ponta a ponta, notamos uma série de cadeados na cerca. Trata-se de uma simpatia para segurar o seu amor. Coloca-se o nome do casal no cadeado e pronto, o relacionamento está seguro. Se pelo menos isso funcionasse com as motos! Em Miami levam as motos, as namoradas e o cadeado.

Bom, é hora de pegar a estrada novamente com destino a Munique porque temos ainda uma longa estrada pela frente. Com esse desvio no trajeto vamos chegar em Munique no meio da noite. Uma das vantagens de se ter a reserva antecipada no hotel.

FOTOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hauptplatz, a praça central da cidade. Para nossa surpresa, aquelas mesinhas ficam ocupadas até tarde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hotel Laserz. Tranquilidade, simpatia, bom atendimento, boa comida, paisagem maravilhosa. Precisa mais? Ah, sim, excelente preço.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A simpatia da família Laserz despedindo-se dos hóspedes, entre Graciela e Amália.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Campos verdes e montanhas acompanham a excelente estrada de Lienz até Salzburg.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Red Bull e Lineu em Salzburg. Em muitos trechos, quando meio sonolento, meu companheiro de viagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mozart, o filho mais nobre de Salzburg, está em muitas vitrines de lojas e restaurantes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vista de Salzburg às margens do rio Salzach.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Graciela tendo o castelo ao alto e talvez algumas ideias quanto aos cadeadinhos na cerca.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em março de 2012 Maria e Peter fecharam seu cadeado e jogaram a chave no rio. Espero que ainda não estejam procurando um bom chaveiro na cidade.

 

 

 

 

 

 

São centenas de cadeados nas diversas pontes da cidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nossa moto coberta por meia-capa em Salzburg. Estas capas são extremamente úteis enquanto se passeia. Em baixo dela estão as jaquetas, os capacetes, luvas e tudo o que atrapalha na caminhada. Até hoje, em muitos anos de uso da capa, nunca sumiu absolutamente nada das motos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Chegada ao hotel Laserz, em Lienz

Deixe seu comentario

You must be logged in to post a comment. Log in »

© 2011 BRTVonline.com