SANTA FE

 

 

O que os filmes Easy Rider e Wild Hogs têm em comum? Ambos foram rodados na belíssima região de Santa Fe, New Mexico.

A princípio, Santa Fe não estava nos nossos planos de viagem. Foi seguindo conselhos de nossos queridos amigos Carlos e Silvia Winitzky, os quais colocaram sua belíssima casa em Santa Fé à nossa disposição, que decidimos conhecer a região. Foi um dos melhores convites que já recebemos. A casa de adobe, típica da região, tem um astral ótimo, decorada com muito bom gosto e fica no centro da cidade histórica. Santa Fe é uma das cidades colonizadas por europeus mais antigas dos Estados Unidos, atrás de St. Augustine, na Flórida, a mais antiga de todas, fundada em 1565.

Carlos é um argentino muito simpático e tranquilo, dono de uma empresa gráfica em Miami, nosso fornecedor e amigo há mais de 10 anos. É um entusiasta de Santa Fé e amante das artes. Por isso, quando sua esposa Silvia nos mandou “a bíblia de Santa Fe” , compilada por ela, não tivemos nenhuma dúvida em aceitar o convite. As expectativas eram altas, mas a cidade superou todas elas. Excelente clima, excelentes restaurantes, povo amável e muita, mas muita arte mesmo. Uma daquelas cidades que a gente se sente bem à vontade, mas não sabe explicar exatamente o porquê. Quando Carlos sugeriu que a casa poderia acomodar confortavelmente dois casais, resolvemos convidar Rekhi e Kiki, nossos caros amigos indianos há mais de 30 anos, também motociclistas. Atualmente vivendo metade do tempo nos Estados Unidos e outra metade entre Índia e Brasil, os Rekhi têm feito viagens fantásticas de moto pela Índia.

O local onde hoje está a cidade de Santa Fe foi primeiramente ocupado por diversos assentamentos e povoados indígenas, entre 1050 a 1150. Um dos assentamentos mais antigos data do ano 900, onde hoje é a praça central da cidade. O rio Santa Fe tinha água corrente o ano todo até 1700 e fornecia água para os povoados. Em 2007 o rio foi reconhecido como o mais ameaçado de extinção dos Estados Unidos e só tem água em alguns meses do ano.

Don Juan de Oñate liderou o primeiro esforço para colonizar o povoado em 1598, fundando Santa Fé de Nuevo México como província da Nova Espanha. Mas foi o segundo governador de Santa Fé, Don Pedro de Peralta, quem fundou a nova cidade, chamada Da Villa Real de La Santa Fé de San Francisco de Assis. Em 1610 ele elevou a cidade à capital da província.
Em 1846 os Estados Unidos e México estavam em guerra e o território do Novo México foi anexado à união. Em 1848, Novo México passou oficialmente a ser um estado americano.

Chegamos em Santa Fé de moto, à noite, vindo de Albuquerque, no início do festival de Zozobra, um dos mais importantes da cidade, que consiste na queima de um boneco gigante durante as Fiestas de Santa Fe, sempre na segunda semana de Setembro. Tivemos que esperar até a uma da manhã para podermos chegar em casa, já que as ruas estavam interditadas e totalmente tomadas por pedestres. Mais de 50 mil pessoas comparecem às festividades nesta cidade de somente 150 mil habitantes.

Santa Fé tem importantes festivais durante o ano todo e não abandonou sua origem espanhola. The Santa Fe Jazz and International Music Festival é um dos mais importantes. A cidade tem sua própria companhia de balé, Aspen Santa Fe Ballet e é aclamada internacionalmente por seu Flamenco. O Institute for Spanish Arts oferece aulas de Flamenco e guitarra espanhola para crianças e adultos. Muitas companhias de dança, incluindo Pacific Northwest Ballet, San Francisco Ballet, Complexions e New York City Ballet se apresentam regularmente na cidade. Para saber mais sobre as festividades da cidade, visite o seu site oficial, www.santafenm.gov.

Percorremos quase dois mil quilômetros de boas estradas com nossas duas Harleys e constatamos que seis dias não são suficientes para se explorar essa belíssima região. Há grandes distâncias a percorrer em áreas totalmente desertas. Há museus, concertos, galerias de arte, tecnologia e rica história do centro oeste norte-americano. Se puder, venha conhecer Santa Fe e cidades vizinhas. Nós, com certeza, pretendemos revisitar essa região. Por enquanto, compartilhe conosco algumas imagens gravadas no Novo México.

FOTOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Easy Rider, de 1969, com Perter Fonda, Dennis Hopper e Jack Nicholson, gravados na região de Santa Fe, ainda selvagem e inóspita, diferente do que é hoje.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Wild Hogs, rodado em 2007, com Tim Allen, John Travolta, Martin Lawrence e William H. Macy, com passagem pela cidade de Madrid, meio caminho entre Albuquerque e Santa Fe.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pegando nossas motos na locadora em Albuquerque. Como não conhecíamos muito bem as Harley Davidson, pedimos algumas orientações ao regente, que nos alertou que as Harleys só têm três problemas: não andam, não param e não fazem curva.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para ser fiel ao perfil da região e viajar no estilo dos filmes gravados por lá, decidimos alugar a Electra Glyde com todos os opcionais, a moto mais completa da Harley Davidson.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Após algumas voltas no estacionamento da locadora para me familiarizar com a moto antes de pegar a estrada, é hora de plotar nosso destino no GPS.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dois motociclistas locais (esquerda), Rekhi, eu, Kiki e Graciela admirando esta “joia”, uma Royal Enfield fabricada na Índia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Trocando endereços para futura correspondência em frente a Royal Enfield. A Enfield Cycle Company foi licenciada pela Coroa inglesa em 1890. Enfield tinha tradição na fabricação de armas por isso batizou esse modelo de Bullet (bala). O slogan era “Fabricada como um canhão, anda como uma bala”. Em 1956 a Bullet começou a ser montada na India, com componentes ingleses. Em 1962 a Royal Enfield passou a ser totalmente fabricada na Índia e hoje é a moto mais antiga do mundo ainda em produção.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Farmers Market, tradicional feira em Santa Fe que acontece todo sábado, onde produtos agrícolas são comercializados por seus próprios produtores, faz parte do roteiro turístico da cidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Coincidência no Farmers Market. Um grupo de motociclistas recém chegados de uma aventura na Índia encontrando um casal de indianos viajando pelos Estados Unidos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não conseguimos descobrir o porquê desta estranha criatura estar fantasiada dessa maneira no Farmers Market.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Encontramos esta simpática violonista portuguesa executando Paulinho Nogueira, Jobin e Baden Powell com muita competência no Farmers Market.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Grandes distâncias a percorrer em estradas com pouquíssimo tráfego.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Planaltos imensos, típicos da região. Horas e horas para curtir essa paisagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com Graciela em Los Alamos, cidade repleta de laboratórios experimentais do governo. Às vezes, em meio ao nada, vê-se placas “Lab-43”. Foi em um desses laboratórios onde a bomba atômica foi desenvolvida de 1939 à 1945, durante o “Manhattan Project”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Graciela repetindo a rotina diária dos índios que habitavam esta região em cavernas naturais. Um verdadeiro “condomínio” com vista para o campo.

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santa Fé é mundialmente reconhecida como centro das artes, refletindo sua característica multicultural e foi nomeada “Creative City” pela UNESCO. Pinturas e esculturas estão em quase todas as vitrines das inúmeras galerias da cidade. A região está associada também com tecnologia dede 1943, quando os cientistas de Los Alamos National Laboratory ajudaram a desenvolver a bomba atômica. Depois dessa época, muitas empresas de biociência, computação, física, estudo biológico e científico foram implantadas na região e, até hoje, muitos encontros científicos acontecem por aqui. A cidade e áreas próximas reúnem manifestações artísticas de todas as tendências: pintura, escultura, literatura, dança, música, incluindo ópera. Esses artistas foram chegando durante décadas, atraídos pela beleza da região. Não é difícil encontrar pelo menos um festival acontecendo na cidade, seja em que época for.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Zozobra, que significa ansiedade em espanhol, encarna melancolia. Queimando-o, as pessoas se livram de suas preocupações e problemas. Conforme a lenda, qualquer pessoa que queira se livrar de sua melancolia deve descrevê-la num pedaço de papel e coloca-lo ao pé do Zozobra para ser queimado com ele.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Zozobra é reconhecido pelo Guinness como o maior marionete do mundo, medindo 15 metros de altura. As Fiestas de Santa Fe são celebradas dede 1712 para comemorar a retomada da cidade pelos espanhóis, ocupada por tribos indígenas até 1692. A queima de Zozobra foi incorporada às festividades em 1924. Hoje, mais de 50 mil pessoas comparecem à queima que abre as festividades de três dias, com desfiles, barracas de comidas típicas e mostras de arte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A caminho de Taos. A paisagem é sempre magnífica, com formações rochosas durante todo o percurso. Eventualmente, as estradas planas e retas do deserto são substituídas por curvas e muito verde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A cerca de 11 quilômetros de Taos uma parada estratégica no Visitors Center para apreciar a paisagem, pegar alguns folhetos e conversar com os guias turísticos. É impressionante a quantidade de informações úteis que essas paradas podem fornecer, tanto em conversa com os guias como com outros viajantes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Após um “break” no Visitor Center, Rekhi e Kiki se aprontam para seguir viagem.

 

 

 

 

 

 

Agradável surpresa com a qualidade de imagem da Hero-2 e do succion cup instalado no para-brisa. Infelizmente na Harley não foi possível continuar com essa montagem por conta da intensa vibração dessa moto.

    

 

 

 

 

 

 

Em Española, cidade a 60 milhas de Santa Fe, encontra-se a maior concentração de seguidores da seita Sikh nos Estados Unidos. A convite de nossos amigos Rekhi e Kiki, visitamos o templo Sikh Dharma of New Mexico e assistimos ao culto dominical.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Antes de entrar num templo Sikh, porém, todos devem cobrir a cabeça de alguma forma, inclusive os homens. Para um “harleyro” isso não é problema, já faz parte da vestimenta.

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assistindo ao culto, bastante espiritual e respeitoso, em meio a cânticos ora em hindi, ora em inglês, em agradecimento ao Guru. A liberdade de seguimento a uma seita ou religião é garantida pela constituição indiana.

Deixe seu comentario

You must be logged in to post a comment. Log in »

© 2011 BRTVonline.com